O EFEITO DA TEMPESTIVIDADE CONTÁBIL NO GERENCIAMENTO DE RESULTADOS DE EMPRESAS BRASILEIRAS LISTADAS NA B3

Autores

  • Nayara de Nazaré Brasil Salgado Universidade Federal do Pará (UFPA)
  • Paulo Vitor Souza de Souza Universidade Federal do Pará (UFPA)

DOI:

https://doi.org/10.14392/asaa.2021140102

Palavras-chave:

Tempestividade, Gerenciamento de Resultados, Qualidade dos Lucros, Perda do Prazo de Divulgação.

Resumo

Objetivo: A tempestividade contábil consiste na disponibilidade da informação para os usuários a
tempo de poder influenciá-los em suas decisões. O objetivo deste artigo consiste em verificar o efeito
da tempestividade dos relatórios financeiros no gerenciamento de resultados de empresas brasileiras
de capital aberto listadas na B3, utilizando três proxies para tempestividade: defasagem na publicação,
perda do prazo da divulgação e a republicação.
Método: A amostra é constituída por 172 empresas, no período compreendido entre 2010 e 2018. A
variável dependente representa o gerenciamento de resultados e foi mensurada pelo modelo de Jones
Modificado por Dechow, Sloan e Sweeney (1995). A variável independente representa a tempestividade
e variáveis de controle foram incluídas, sendo elas: tamanho da empresa, empresas auditadas por
Big Four, endividamento, governança corporativa, fluxo de caixa operacional e prejuízo do período.
Utilizou-se regressões com dados em painel.
Resultados: Os resultados fornecidos pelos seis modelos apontam que a tempestividade possui relação
positiva e significativa com o gerenciamento de resultados, isto é, as empresas que demoram e, até
mesmo, que perdem o prazo de publicação de seus relatórios financeiros sinalizam maior gerenciamento
de resultados. Os achados também denotam que empresas que republicam, de maneira espontânea
ou obrigatória, tendem a um maior gerenciamento de resultados.
Contribuições: Uma das principais contribuições da pesquisa consiste em evidenciar que a
tempestividade dos relatórios financeiros pode sinalizar práticas oportunistas da gestão por meio
do uso de gerenciamento de resultados, interferindo assim, no processo de tomada de decisões dos
usuários da informação contábil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nayara de Nazaré Brasil Salgado, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Pará (UFPA)

Paulo Vitor Souza de Souza, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Professor da Faculdade de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Pará (UFPA)
Doutor em Ciências Contábeis pela Universidade de Brasília (UnB)

Referências

Ahmad, R. A. R., & Kamarudin, K. (2003). Audit delay and the timeliness of corporate reporting: Malaysian evidence. In: Hawaii International Conference on Business, 3.

Almeida, J. E. F., & Almeida, J. C. G. (2009). Auditoria e earnings management: estudo empírico nas empresas abertas auditadas pelos big four e demais firmas de auditoria. Revista Contabilidade & Finanças, 20(50), 62-74. https://doi.org/10.1590/S1519-70772009000200005

Baptista, E. (2009) Teoria em gerenciamento de resultados. Revista de Contabilidade da UFBA, 3(2), 5-20.

Barcellos, L. P., Costa Júnior, J. V., & Laurence, L. C. (2014). Determinantes do Prazo de Divulgação das Demonstrações Contábeis das Companhias Não Financeiras Listadas na Bovespa. Revista de Contabilidade e Organizações, 20(8). https://doi.org/10.11606/rco.v8i20.69265

Costa, A. C. O., Teixeira, A. J. C., & Nossa, V. (2002). Conservadorismo, accruals e qualidade dos lucros contábeis. XXVI ENANPAD, Salvador, BA, Brasil.

CPC 00 (R2). Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil-Financeiro. Brasília. 2019. Recuperado em 09 de julho, 2019, de http://static.cpc.aatb.com.br/Documentos/573_CPC00(R2).pdf

Cupertino, C. M. (2013). Gerenciamento de resultados por decisões operacionais no mercado de capitais brasileiro. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil. https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/122592

Dechow, P. M., Sloan, R. G., & Sweeney, A. P. (1995). Detecting earnings management. Accounting Review, 193-225. https://www.jstor.org/stable/248303

Dechow, P., Ge, W., & Schrand, C. (2010). Understanding earnings quality: A review of the proxies, their determinants and their consequences. Journal of Accounting and Economics, 50(2-3), 344-401. https://doi.org/10.1016/j.jacceco.2010.09.001

Di Pietra, R., Mcleay, S. & Ronen, J. (2014). Accounting and Regulation: new insigths on Governance, Markets and Institutions. New York: Springer.

Goulart, A. M. C. (2007). Gerenciamento de resultados contábeis em instituições financeiras no Brasil. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Healy, P. M., & Wahlen, J. M. (1999). A review of the earnings management literature and its implications for standard setting. Accounting Horizons, 13(4), 365-383. https://doi.org/10.2308/acch.1999.13.4.365

Hendriksen, E. S., & Van Breda, M. F. (2012). Teoria da contabilidade. (5ª. ed.) São Paulo: Atlas.

Jensen, M. C., & Meckling, W. H. (1976). Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of financial economics, 3(4), 305-360. https://doi.org/10.1016/0304-405X(76)90026-X

Kirch, G., Lima, J. B., & Terra, P. R. S. (2012). Determinants of disclosure timing for financial statements of Brazilian public companies. Revista Contabilidade e Finanças, 23(60), 173-186. https://doi.org/10.1590/S1519-70772012000300003

Lei n. 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre as sociedades por ações. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil03/LEIS/L6404consol.htm

Lei n. 11.638, de 28 de setembro de 2007. Altera e revoga dispositivos da Lei n. 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei n. 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Recuperado de https://www.planalto.gov.br/ccivil03/ato2007-2010/2007/lei/l11638.htm

Marques, V. (2016). Qualidade das Informações Financeiras e o Ambiente Regulatório: Evidências Empíricas no Período de 1998-2013. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Marques, V. A., Amaral, H. F., de Souza, A. A., dos Santos, K. L., & Belo, P. H. R. (2017). Determinantes das Republicações no Mercado Brasileiro: Uma Análise a partir dos Incentivos ao Gerenciamento de Resultados. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 11(2), 187-209. https://doi.org/10.17524/repec.v11i2.1488

Martinez, A. L. (1998). Agency theory na pesquisa contábil. XXII ENANPAD, Foz do Iguaçu, PR, Brasil.

Martinez, A. L. (2001). “Gerenciamento” dos Resultados Contábeis: Estudo Empírico das Companhias Abertas Brasileiras. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

https://10.11606/T.12.2002.tde-14052002-110538

Martinez, A. L., & Cardoso, R. L. (2009). Gerenciamento da informação contábil no Brasil mediante decisões operacionais. Revista Eletrônica de Administração, 15(3), 1-27.

Martinez, A. L. (2011). Do corporate governance special listing segments and auditing curb real earnings management and accrual-based earnings management? Evidence from Brazil. Revista Universo Contábil, 7(4), 98-117. https://doi.org/10.4270/RUC.2011433

Martinez, A. L. (2013). Gerenciamento de resultados no Brasil: um survey da literatura. BBR-Brazilian Business Review, 10(4), 1-31.

Milgrom, P., & Roberts, J. (1992). Economics, Organizacional & Management. New Jersey: Prentice-Hall.

Moreira, A. T., Jones, G. D. C., Tavares, M., Fehr, L. C. F. D. A., & Silva Filho, O. A. D. (2014). Um estudo comparativo do EBITDA e do Fluxo de Caixa Operacional em empresas brasileiras do setor de Telecomunicações. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 4(3), 05-22.

Nascimento, A. M., & Reginato, L. (2008). Divulgação da informação contábil, governança corporativa e controle organizacional: uma relação necessária. Revista Universo Contábil, 4(3), 25-47. https://dx.doi.org/10.4270/ruc.20084

Owusu-Ansah, S., & Leventis, S. (2006). Timeliness of corporate annual financial reporting in Greece. European Accounting Review, 15(2), 273-287. https://doi.org/10.1080/09638180500252078

Paulo, E. (2007). Manipulação das informações contábeis: uma análise teórica e empírica sobre os modelos operacionais de detecção de gerenciamento de resultados. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. https://doi.org/10.11606/T.12.2007.tde-28012008-113439

Paulo, E. P., & Leme, J. R. (2009). Gerenciamento de resultados contábeis e o anúncio dos resultados contábeis pelas companhias abertas brasileiras. Revista Universo Contábil, 5(4), 27-43. https://dx.doi.org/10.4270/ruc.20095

Sá, T. S. (2014). Tempestividade da informação: uma análise dos fatores que influenciam o prazo de publicação das demonstrações financeiras no Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

https://dx.doi.org/10.26512/2014.12.D.17842

Schipper, K. (1989). Earnings management. Accounting Horizons, 3(4), 91-102.

Silva, C. E. V., Silva, A. H. C., & Sancovschi, M. (2006) Evidências sobre o prazo médio de publicação de demonstrações contábeis de empresas brasileiras de capital aberto. VI Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil.

Souza, P. V. S., Silva, A. G. A., & Macedo, M. A. S. (2018). Determinantes da perda do prazo de divulgação dos relatórios financeiros das companhias brasileiras de capital aberto. Revista Contemporânea de Contabilidade, 15(37), 52-70. https://doi.org/10.5007/2175-8069.2018v15n37p52

Subramanyam, K. R. (1996). The pricing of discretionary accruals. Journal of accounting and economics, 22(1-3), 249-281. https://doi.org/10.1016/S0165-4101(96)00434-X

Türel, A. G. (2010). Timeliness of financial reporting in emerging capital markets: Evidence from Turkey. European Financial and Accounting Journal, 5(3-4), 113-133. https://dx.doi.org/10.18267/j.efaj.58

Publicado

30/06/2021

Como Citar

Salgado, N. de N. B., & Souza, P. V. S. de. (2021). O EFEITO DA TEMPESTIVIDADE CONTÁBIL NO GERENCIAMENTO DE RESULTADOS DE EMPRESAS BRASILEIRAS LISTADAS NA B3. Advances in Scientific and Applied Accounting, 14(1), 039–055 / 056. https://doi.org/10.14392/asaa.2021140102

Edição

Seção

ARTIGOS