ANÁLISE DAS PUBLICAÇÕES INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE GERENCIAL SOB A LENTE DA TEORIA ATOR-REDE

Autores

  • Iago França Lopes UFSC
  • Ilse Maria Beuren UFSC

Palavras-chave:

Teoria Ator-Rede. Contabilidade Gerencial. Artigos Publicados. Periódicos Internacionais.

Resumo

Este estudo objetiva analisar o perfil dos artigos de Contabilidade Gerencial sob a lente da Teoria Ator-Rede publicados em periódicos internacionais. A análise deu-se a partir de etapas sistemáticas e resultou em uma amostra de 42 artigos publicados em periódicos internacionais, no período de 1991 a 2016, que foram organizados a partir de dimensões qualitativas e quantitativas. Os resultados da pesquisa mostram que existe uma tentativa incansável dos pesquisadores em reposicionar ou mesmo reabilitar as tecnologias contábeis a partir da explicação sociológica. A utilização de uma abordagem sociológica reposiciona a Contabilidade como objeto central no desenvolvimento das organizações e apresenta aos pesquisadores um mundo de possibilidades, onde atores se apresentam de várias formas, e a estabilidade na rede de atores é sempre um risco a ser considerado. O desafio do uso da ANT em pesquisas de Contabilidade Gerencial é investigar os critérios que os pesquisadores empregam ao selecionar suas metodologias, em particular averiguar a elaboração teórica desses artigos e analisar seus dados teórico-empíricos. Com este estudo espera-se incentivar o aumento do debate sobre a evolução e abrangência da ANT na área da Contabilidade Gerencial, em vista da lacuna percebida no Brasil de pesquisas empíricas que envolvem os fundamentos desta Teoria. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iago França Lopes, UFSC

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Contabilidade pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC.

Ilse Maria Beuren, UFSC

Doutora em Controladoria e Contabilidade pela FEA/USP. Professora do Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Referências

Ahrens, T., & Chapman, C. S. (2007). Management accounting as practice. Accounting, Organizations and Society, 32(1), 1-27.

Ahrens, T., & Mollona, M. (2007). Organisational control as cultural practice: A shop floor ethnography of a Sheffield steel mill. Accounting, Organizations and Society, 32(4), 305-331.

Alcadipani, R., & Hassard, J. (2010). Actor-Network Theory, organizations and critique: towards a politics of organizing. Organization. 17(4), 419-435.

Alcadipani, R., & Tureta, C. (2009). Teoria ator-rede e análise organizacional: contribuições e possibilidades de pesquisa no Brasil. Organizações & Sociedade, 16(51).

Alcouffe, S., Berland, N., & Levant, Y. (2008). Actor-networks and the diffusion of management accounting innovations: A comparative study. Management Accounting Research, 19(1), 1-17.

Andon, P., Baxter, J., & Chua, W. F. (2007). Accounting change as relational drifting: A field study of experiments with performance measurement. Management Accounting Research, 18(2), 273-308.

Araújo, U. P., de Brito, M. J., de Pádua Ribeiro, L. M., & Lopes, F. T. (2016). Metainterpretação: Quinze anos de pesquisa com o Relatório da Administração. Revista Contabilidade & Finanças, 27(71), 217-231.

Arnaboldi, M., & Azzone, G. (2010). Constructing performance measurement in the public sector. Critical Perspectives on Accounting, 21(4), 266-282.

Baxter, J., & Chua, W. F. (2003). Alternative management accounting research: Whence and whither. Accounting, Organizations and Society, 28(2), 97-126.

Berger, Peter L. & Luckmann, Thomas. (1991). The social construction of reality: A treatise in the sociology of knowledge. Nova York: Random House

Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBOVESPA). (2017). Classificação setorial. Recuperado em 13 junho, 2017, de http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/produtos/listados-a-vista-e-derivativos/renda-variavel/acoes/classificacao-setorial/

Brei, V. A., Vieira, V. A., & Matos, C. A. (2014). Meta-análise em Marketing. REMark. Revista Brasileira de Marketing, 13(2), 82-97.

Quattrone, P., & Hopper, T. (2005). A ‘time–space odyssey’: management control systems in two multinational organisations. Accounting, Organizations and Society, 30(7), 735-764.

Robson, K. (1991). On the arenas of accounting change: the process of translation. Accounting, Organizations and Society, 16(5), 547-570.

Robson, K. (1992). Accounting numbers as “inscription”: action at a distance and the development of accounting. Accounting, Organizations and Society, 17(7), 685-708.

Skærbæk, P., & Melander, P. (2004). The politics of the changing forms of accounting: a field study of strategy translation in a Danish government-owned company under privatisation. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 17(1), 17-40.

Tonelli, D. F. (2016). Origens e afiliações epistemológicas da Teoria Ator-Rede: implicações para a análise organizacional. Cadernos EBAPE.BR, 14(2), 377-390.

Uzzi, B. (1997). Social structure and competition in interfirm networks: The paradox of embeddedness. Administrative Science Quarterly, 42(1), 35-67.

Watts, R. L., & Zimmerman, J. L. (1986). Positive accounting theory. Englewood Cliffs: Prentice-Hall.Análise das publicações internacionais de contabilidade gerencial sob a lente da teoria ator-rede

Publicado

01/09/2017

Como Citar

Lopes, I. F., & Beuren, I. M. (2017). ANÁLISE DAS PUBLICAÇÕES INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE GERENCIAL SOB A LENTE DA TEORIA ATOR-REDE. Advances in Scientific and Applied Accounting, 10(2), 189–210. Recuperado de https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/303

Edição

Seção

EDIÇÃO ESPECIAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>