Advances in Scientific and Applied Accounting https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa <p style="text-align: justify;">Bem-vindas e bem-vindos a <strong>ASAA</strong> <em><strong>Advances in Scientific and Applied Accounting </strong></em><strong>(ASAA Journal)</strong>, a revista da AnpCONT - Associação Nacional de Programas de Pos-graduação em Ciências Contábeis (Brasil).</p> AnpCONT pt-BR Advances in Scientific and Applied Accounting 1983-8611 <p style="text-align: justify;">Os direitos autorais para artigos publicados na <strong>ASAA Jorunal</strong> são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não comerciais. A <strong>ASAA Journal</strong> permitirá o uso dos trabalhos publicados para fins não comerciais, incluindo direito de enviar o trabalho para bases de dados de acesso público. Os artigos publicados são de total e exclusiva responsabilidade dos autores. Não há encargos para submissão/publicação ou taxas para processamento de artigos (Articles Processing Charge - APC).</p> EFEITO MODERADOR DA EXPERTISE FINANCEIRA NA RELAÇÃO ENTRE O EXCESSO DE CONFIANÇA E A QUALIDADE DA EVIDENCIAÇÃO CONTÁBIL https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/718 <p><strong>Objetivo</strong>: A pesquisa busca analisar o efeito moderador da expertise financeira do conselho de<br />administração na relação entre o excesso de confiança dos executivos e a qualidade da evidenciação<br />contábil.<br /><strong>Método</strong>: Foi realizada uma pesquisa documental, considerando dados relativos ao período temporal<br />de 2011 a 2017, e aplicação de técnicas estatísticas de correlação e regressão linear múltipla. A amostra<br />compõe-se das 146 companhias abertas com dados disponíveis para operacionalizar as variáveis.<br /><strong>Resultados</strong>: Os resultados revelaram que nas empresas em que o conselho de administração possui<br />expertise financeira, o excesso de confiança dos executivos é minimizado. A expertise financeira modera<br />positivamente a relação entre o excesso de confiança e a qualidade da evidenciação contábil. Os<br />resultados sugerem que o conhecimento financeiro do conselho de administração reflete na qualidade<br />da evidenciação contábil, mesmo que o executivo denote excesso de confiança e minimize a qualidade<br />da evidenciação contábil.<br /><strong>Contribuições</strong>: O estudo contribui ao auxiliar os investidores e reguladores contábeis no entendimento<br />de como os traços de personalidade dos executivos e o conhecimento do conselho de administração<br />podem interferir na qualidade dos relatórios contábeis.</p> Micheli Aparecida Lunardi Ilse Maria Beuren Roberto Carlos Klann Copyright (c) 2021 Advances in Scientific and Applied Accounting https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt 2021-06-30 2021-06-30 003 021 / 022-038 10.14392/asaa.2021140101 O EFEITO DA TEMPESTIVIDADE CONTÁBIL NO GERENCIAMENTO DE RESULTADOS DE EMPRESAS BRASILEIRAS LISTADAS NA B3 https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/750 <p><strong>Objetivo</strong>: A tempestividade contábil consiste na disponibilidade da informação para os usuários a<br />tempo de poder influenciá-los em suas decisões. O objetivo deste artigo consiste em verificar o efeito<br />da tempestividade dos relatórios financeiros no gerenciamento de resultados de empresas brasileiras<br />de capital aberto listadas na B3, utilizando três proxies para tempestividade: defasagem na publicação,<br />perda do prazo da divulgação e a republicação.<br /><strong>Método</strong>: A amostra é constituída por 172 empresas, no período compreendido entre 2010 e 2018. A<br />variável dependente representa o gerenciamento de resultados e foi mensurada pelo modelo de Jones<br />Modificado por Dechow, Sloan e Sweeney (1995). A variável independente representa a tempestividade<br />e variáveis de controle foram incluídas, sendo elas: tamanho da empresa, empresas auditadas por<br />Big Four, endividamento, governança corporativa, fluxo de caixa operacional e prejuízo do período.<br />Utilizou-se regressões com dados em painel.<br /><strong>Resultados</strong>: Os resultados fornecidos pelos seis modelos apontam que a tempestividade possui relação<br />positiva e significativa com o gerenciamento de resultados, isto é, as empresas que demoram e, até<br />mesmo, que perdem o prazo de publicação de seus relatórios financeiros sinalizam maior gerenciamento<br />de resultados. Os achados também denotam que empresas que republicam, de maneira espontânea<br />ou obrigatória, tendem a um maior gerenciamento de resultados.<br /><strong>Contribuições</strong>: Uma das principais contribuições da pesquisa consiste em evidenciar que a<br />tempestividade dos relatórios financeiros pode sinalizar práticas oportunistas da gestão por meio<br />do uso de gerenciamento de resultados, interferindo assim, no processo de tomada de decisões dos<br />usuários da informação contábil.</p> Nayara de Nazaré Brasil Salgado Paulo Vitor Souza de Souza Copyright (c) 2021 Advances in Scientific and Applied Accounting https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt 2021-06-30 2021-06-30 039 055 / 056-071 10.14392/asaa.2021140102 EFETIVIDADE DOS PARCELAMENTOS FISCAIS PARA A SOLVÊNCIA CORPORATIVA NO BRASIL https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/753 <p><strong>Objetivo</strong>: A renegociação de dívidas tributárias tem sido justificada sob o enfoque da insolvência, cujo propósito é “salvar” as empresas e recuperar os créditos tributários. Esta pesquisa tem por objetivo verificar a efetividade dos parcelamentos fiscais para a solvência das companhias abertas brasileiras<br /><strong>Método</strong>: Foram comparados os Z-scores de insolvência de 140 companhias abertas que aderiram ao Programa Especial de Regularização Tributária (PERT) com uma amostra similar de companhias que não fizeram a adesão. Para controlar o efeito de outros fatores utilizou-se o setor de atuação, estado em recuperação judicial e o tamanho das companhias. Para a análise da amostra foram utilizados testes de médias e regressão quantílica nos Z-scores do modelo de Altman (2016).<br /><strong>Resultados</strong>: Os testes de médias não foram conclusivos para a análise da efetividade da adesão aos parcelamentos fiscais no nível de insolvência das companhias. Contudo, através do modelo regressivo encontrou-se melhorias dos Z-scores de insolvência das companhias que aderiram ao programa PERT, se diferenciando das demais companhias que não aderiram, dependendo do setor.<br /><strong>Contribuição</strong>: Os achados indicam a falta de efetividade dos programas em “salvar” as organizações em dificuldades financeiras. Esses resultados contribuem para chamar a atenção para a necessidade de rever os critérios de adesão aos programas de refinanciamento tributários levando em consideração as necessidades financeiras das companhias. Caso contrário tais mecanismos servem apenas para favorecer os grupos que capturam os governantes, perdendo a efetividade dos programas como auxílio para empresas em dificuldades financeiras.</p> Sabrina Rafaela Pereira Borges Ilírio José Rech Copyright (c) 2021 Advances in Scientific and Applied Accounting https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt 2021-06-30 2021-06-30 072 089 / 090-105 10.14392/asaa.2021140103 CICLO ORÇAMENTÁRIO POLÍTICO: UMA ANÁLISE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/570 <p><strong>Objetivo</strong>: o estudo investiga o comportamento das despesas empenhadas, gastos com investimento e captação de empréstimo em período eleitoral nos municípios brasileiros com população igual ou superior a 50 mil habitantes, bem como, se esses mesmos municípios cumprem as exigências legais a respeito da fonte e limite de recursos orçamentários em ano de eleição, conforme preconiza a Lei nº 11.300/06, no período de 2000-2016.<br /><strong>Método</strong>: A amostra da pesquisa representa 66% da população brasileira. O método aplicado para análise dos dados foi regressão tobit em dados em painel, agrupados por municípios, correspondentes a 353 municípios, 5 regiões e 6001 observações.<br /><strong>Resultados</strong>: Os achados indicam que não há mudanças das despesas empenhadas antes, durante e após o período eleitoral, independente de igualdades partidárias e eleição em dois turnos. Já no que tange aos gastos com investimentos e captação de empréstimos em período eleitoral, o estudo sugere aumento médio em 9% e 68% respectivamente, com maior intensidade quando há igualdade partidária entre governos municipais e estaduais, principalmente em processo de reeleição. Quanto ao cumprimento das exigências legais sobre uso de recursos orçamentários em ano eleitoral, o estudo<br />indica que os governos locais não cumprem as instruções normativas vigentes.<br /><strong>Contribuições</strong>: Considerando que não há consenso na literatura especializada sobre o comportamento dos gastos públicos, este estudo contribui para a literatura e futuras pesquisas porquê inova por meio de método estatístico robusto e eficaz, a evidenciação do comportamento dos gastos nos governos<br />locais em período eleitoral.</p> Gilberto Crispim Leonardo Flach Luiz Alberton Celma Duque Ferreira Copyright (c) 2021 Advances in Scientific and Applied Accounting https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt 2021-06-30 2021-06-30 106 123 / 124-140 10.14392/asaa.2021140104 DESCENTRALIZAÇÃO DA EXECUÇÃO DA DESPESA ORÇAMENTÁRIA E SEU EFEITO NO GASTO MUNICIPAL https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/740 <p><strong>Objetivo</strong>: A pesquisa teve como objetivo investigar o efeito da descentralização de compras no gasto municipal, pela lente teórica da Teoria da Escolha Pública.<br /><strong>Método</strong>: A análise foi desenvolvida por meio de regressão quantílica realizada com dados obtidos<br />por um questionário eletrônico, analisados em conjunto com dados de prefeituras de 2013 a 2018, considerando-se gastos com diferentes pressões e vinculações orçamentárias.<br /><strong>Resultados</strong>: Os resultados indicam que, para as áreas com vinculações suficientes, a descentralização diminuição o gasto; para áreas com vinculações insuficientes e alta pressão social, apresentou resultado inverso, de aumento, sendo nulo o efeito para área sem vinculações e baixa pressão. Pela lente teórica adotada, as decisões no setor público não seguem necessariamente uma lógica de bem-estar, mas<br />são influenciadas por outros elementos, como o autointeresse dos atores. Porém, sua decisão não<br />depende exclusivamente dos aspectos individuais, podendo ser influenciada também por aspectos<br />organizacionais, como a descentralização da execução da despesa orçamentária<br /><strong>Contribuições</strong>: Os resultados trazem três contribuições. Primeiro, ao discutir o efeito de práticas que estão em uso nos governos, muitas vezes de forma automática, permite gerar maior reflexão sobre as decisões da organização dessas práticas. Segundo, chama a atenção para os efeitos causados pela vinculação orçamentária, que devem ser considerados pelas pesquisas, dadas as especificidades de cada vinculação. Terceiro, mesmo tendo autonomia sobre as compras, os gestores de unidades<br />descentralizadas tendem a buscar eficiência apenas quando os recursos destinados às suas áreas são suficientes. Assim, a pesquisa propõe a existência de um efeito organizacional moderador na busca pela maximização.</p> Dinah Vieira dos Santos Patrícia de Souza Costa Ricardo Rocha de Azevedo Copyright (c) 2021 Advances in Scientific and Applied Accounting https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt 2021-06-30 2021-06-30 141 159 / 160-178 10.14392/asaa.2021140105 EFEITO DAS DIMENSÕES DE GOVERNANÇA NO RECEBIMENTO DE DOAÇÕES VINCULADAS EM ONGS AMBIENTAIS NO BRASIL https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/722 <p><strong>Objetivo<em>: </em></strong>Este estudo objetivou analisar o efeito conjunto das dimensões de governança no recebimento de doações vinculadas por Organizações Não Governamentais (ONGs) com atuação no Brasil, à luz da teoria da agência</p> <p><strong>Método<em>:</em></strong> A amostra do estudo foi composta, de forma aleatória, por 108 ONGs ambientais com atuação no Brasil, e os dados foram obtidos por meio de levantamento documental ou por contato direto. Os dados foram analisados por meio de Análise de Correspondência Múltipla (ACM) e Regressão Linear Múltipla.</p> <p><strong><em>Resultados:</em></strong> Primeiro, foram identificadas seis dimensões de governança (Conselho de Administração, Conselho Fiscal, Transparência, Gestão, Auditoria e Prestação de contas), por meio de Análise de Correspondência Múltipla. Depois, por meio de Regressão Linear Múltipla, foi identificado que quatro (Gestão, Prestação de contas, Transparência e Auditoria) das seis dimensões de governança estão positivamente associadas às doações vinculadas.</p> <p><strong>Contribuições<em>: </em></strong>Os achados deste estudo indicam que há importantes implicações da qualidade de governança para executivos de ONGs ambientais, ao sinalizar que doadores poderiam fazer uso de informações sobre a governança das ONGs se fossem mais bem divulgadas.</p> Adonai José Lacruz Valcemiro Nossa Thiago de Andrade Guedes Katarina Rosa Lemos Copyright (c) 2021 Advances in Scientific and Applied Accounting https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt 2021-06-30 2021-06-30 179 197 / 198-216 10.14392/asaa.2021140106 CORPORATE GOVERNANCE AND GLOBAL MANAGEMENT ACCOUNTING PRINCIPLES IN PUBLIC COMPANIES IN BRAZIL https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/667 <p><strong>Objective</strong>: The objective of this research is to verify the relations of Corporate Governance with the Global Management Accounting Principles (GMAP) of public companies in Brazil.<br /><strong>Methods</strong>: This is a descriptive study with a quantitative approach. With a sample of 311 companies that traded shares in Brasil, Bolsa and Balcão (Brazil Stock Exchange and Over-the-Counter Market - B3), data were collected from Comdinheiro, reference forms, companies’ website, the Brazilian Securities and Exchange Commission (CVM) and B3, management reports, annual reports, financial statements and sustainability reports, ranging from 2010 to 2016. In relation to the dependent variable, indexes were constructed to represent the GMAP (IGMAP). The explanatory variables were represented by the dimensions: Board of Directors, Ownership Structure and Control and Executive Compensation.<br /><strong>Results and discussions</strong>: The results show that in the dimension of the Board of Directors, companies from the Novo Mercado (New Market) are the ones that best represent the analyzed relationships, given that independence and meetings positively explain the GMAP. The age of directors and the accumulation of positions of president and CEO have a negative influence on the GMAP. In addition, the Ownership Structure had a negative impact on the GMAP, although only companies in the Level 2 segment and with little representative coefficient. In addition, fixed remuneration also explains the GMAP, this for all segments of governance. <br /><strong>Contributions</strong>: The study's findings contribute to the debate on the relevance of Corporate Governance practices associated with Management Accounting, since governance requires reports with adequate internal practices, especially for the survival of companies operating in competitive markets.</p> Thamirys de Sousa Correia Wenner Glaucio Lopes Lucena Copyright (c) 2021 Advances in Scientific and Applied Accounting https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt 2021-06-30 2021-06-30 217 238 10.14392/asaa.2021140107 EDITORIAL https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/823 Orleans Silva Martins Paulo Roberto da Cunha Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt 2021-06-30 2021-06-30 001 002