DETERMINANT FACTORS FOR UNIVERSITY STUDENT DROPOUT: A STUDY WITH NEW STUDENTS OF ACCOUNTING SCIENCES COURSES AT FEDERAL UNIVERSITIES IN THE NORTHEAST REGION

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14392/asaa.2020130305

Palavras-chave:

student dropout, accounting sciences, higher education.

Resumo

Objectives: To identify the determinant factors for student dropout in Accounting Sciences courses at Federal Universities in the Northeast region.
Methods: This is a descriptive-exploratory study with a quantitative approach and survey usage. The sampling is non-probabilistic and intentional, covering all federal universities in the Northeast region of Brazil and consisting of 220 students who had enrolled in Accounting Science Courses in 2019. A questionnaire adapted from Cunha, Nascimento and Durso (2016) was also used, and data were interpreted through descriptive and factor analysis.
Results or discussion: The results showed us that the vocational factor with the greatest factor loading was the one related to the type of admission, resulting from a successful selection process for the course in question and not for the student's preferred course. The most relevant institutional factor was related to the lack of information about the course as provided by the institution. The students' perception of the performance factor showed that the item with the highest factor loading was the one related to the student's difficulty in following the course because he or she did not have enough time to study.
Contributions: The results indicate that the institution, with the information provided, may act directly upon the identified weaknesses through specific actions in order to reduce dropout rates.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sulanny de Souza Sampaio, Universidade Federal do Seara

Contadora pela Universidade Federal do Ceará

Mestranda em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior - UFC

Maria Marcela Ramos da Rocha, Universidade Federal do Ceará

Graduada em Secretariado Executivo (2010) e especialista em Assessoria Executiva e Gestão Pública e Privada (2013), ambos na Universidade Federal do Ceará (UFC). Secretária Executiva do Laboratório de Pesquisa e Tecnologia em Soldagem da Universidade Federal do Ceará desde fevereiro de 2011. Atualmente cursando o Mestrado Profissional em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior (POLEDUC/UFC).

 

Sueli Maria de Araújo Cavalcante, Universidade Federal do Ceará

Doutora em Educação, eixo temático em Avaliação Institucional, pela FACED/UFC (2011). Mestre em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1988). Graduada em Processamento de Dados pela Universidade Federal do Ceará (1978) e em Administração de Empresas pela Universidade Estadual do Ceará (1981). Atualmente é professora associada da Universidade Federal do Ceará. Tem experiência nas áreas de Administração e Informática, com ênfase em Administração de Sistemas de Informação. Membro do corpo docente do Mestrado Profissional em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior - Poleduc, da UFC. Professora do Curso de Administração à Distância, pela Universidade Federal do Ceará/ Universidade Aberta do Brasil.

Maxweel Veras Rodrigues, Universidade Federal do Ceará

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina e Mestre em Administração Financeira pela Universidade Federal da Paraíba . Professor Associado 4 do Departamento de Engenharia de Produção (DEPRO) do Centro de Tecnologia da Universidade Federal do Ceará - UFC, Docente do Mestrado Profissional em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior da UFC - POLEDUC, onde exerceu a função de Coordenador (gestões: 2007 - 2009 ; 2015 - 2017 e 2017 - 2019) e a função de Vice-Coordenador (gestões: 2013 - 2015 ; 2019 - 2021) . Tem experiência nas áreas de Engenharia de Produção e Gestão de Empresas, com ênfase em Gestão de Custos, Finanças Empresariais, Avaliação de Desempenho , Planejamento Estratégico e Organização de Empresas, atuando, principalmente, nos seguintes temas: Gestão de custos e formação de preço, Gestão financeira e Avaliação de desempenho estratégico e Organização de empresas.

Referências

Alexander, B., Brewin, C. R., Vearnals, S., Wolff, G., &Leff.J. (1999).An investigation of shame and guilt in a depressed sample.British Journal os Medical Psychology. V. 72, 323-38.

Ambiel, R. A. M. (2015). Construção da Escala de Motivos para Evasão do Ensino Superior. Avaliação Psicológica, v. 14, n.1, 41-52. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/avp/v14n1/v14n1a06.pdf> Acesso em: 18 jun. 2019.

Ambiel, R. A. M., Carvalho, L. de F., Moreira, T. da C., &Bacan, A. R. (2016). Funcionamento diferencial dos itens na Escala de Motivos para Evasão do Ensino Superior (M-ES) Psico, v. 47, n. 1, p. 68-76.

Ambiel, R. A. M., Santos, A. A. A. dos, &Dalbosco, S. N. P. (2016). Motivos para evasão, vivências acadêmicas e adaptabilidade de carreira em universitários. Psico, v. 47, n. 4, 288-297.

Araújo, A. M., Almeida, L. S., Costa, A. R., Alfonso, S., Conde, Á., &Deaño, M. (2015). Variáveis pessoais e socioculturais de diferenciação das expectativas académicas: Estudo com alunos do Ensino Superior do Norte de Portugal e Galiza. Revista Portuguesa De Educação, 28(1), 201-220. https://doi.org/10.21814/rpe.7057

Beuren, I, M. (Org.). (2008). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 3 ed., São Paulo: Atlas.

Brasil. (1997). Comissão Especial de Estudos sobre a Evasão nas Universidades Públicas Brasileiras. Diplomação, retenção e evasão nos cursos de graduação em instituições de Ensino Superior públicas. Brasília, DF, Brasil.

Brasil. (2007). Decreto 6.096, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. Diário Oficial da União. Poder Executivo. Brasília, DF.

Cislaghi, R. (2008). Um modelo de sistema de gestão do conhecimento em um framworkpara a promoção da permanência discente no ensino de graduação. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, PR, Brasil.

Cunha, J. V. A., Nascimento, E. M., &Durso, S. O. (2016). Razões e Influências para a Evasão Universitária: um Estudo com Estudantes Ingressantes nos Cursos de Ciências Contábeis de Instituições Públicas Federais da Região Sudeste. Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 9, n. 2, 141-161.

Dancey, C.; Reidy, J.(2006). Estatística sem matemática para psicologia. Porto Alegre: Artmed

Fávero, L. P., Belfiore, P., Silva, F. L. da, & Chan, B. L. (2009).Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Franco, L. C. (2016). Evasão nos Cursos Superiores da Região Norte e estudo comparativo para avaliação das Ifes Tocantinenses. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão de Políticas Públicas), Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas, Universidade Federal do Tocantins, Palmas, TO, Brasil.

Friel, C. M. (2009). Notes on factor analysis. Criminal Justice Center, Sam Houston State University.

Gaioso, N. P. de L. (2005). O fenômeno da evasão escolar na educação superior no Brasil. Dissertação (Mestrado em Educação), Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Católica de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Gil, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

Gilioli, R. de S. P. (2016). Evasão em Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil: expansão da rede, Sisu e desafios. Estudo Técnico, Câmara dos Deputados. Brasília-DF.

Hair, J. F. Jr., Anderson, R. E., Tatham, R. L. & Black, W. C. (2009). Análise multivariada de dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman.

Hoffmann, I. L., Nunes, R. C., Muller, F. M., & Hoffmann, D. de La V. (2016). Metodologia para identificação de fatores estratégicos para acompanhamento sistemático da evasão em cursos de graduação. Revista Gestão Universitária na América Latina (GUAL). Florianópolis, p. 157-179, v. 10, n. 4.

Kline, P. (1994). An easy guide to factor analysis.New York: Routledge.

Lobo, M. B. de C. M. (2012). Panorama da evasão no ensino superior brasileiro: aspectos gerais das causas e soluções. ABMES. Cadernos n. 25. Brasília, DF, Brasil. Disponível em: http://www.institutolobo.org.br/imagens/pdf/artigos/art_087.pdfAcesso em: 10 nov 2019.

Malhotra, N. K. (2011). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 6. ed. Porto Alegre: Bookman.

Maués, Olgaíses Cabral. (2019). Ensino superior na ótica dos organismos internacionais. Educar em Revista, 35(75), 13-30. Epub July 29, 2019.https://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.66009

MEC. (2015). Institucional. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/institucional/apresentacao-historia. Acesso em 30 agosto de 2020.

MEC. (2018). Censo da Educação Superior 2018.Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2019/censo_da_educacao_superior_2018-notas_estatisticas.pdf. Acesso em 30 maio de 2019.

Porto, A. M. da S. & Soares, A. B. (2017). Diferenças entre expectativas e adaptação acadêmica de universitários de diversas áreas do conhecimento. Análise Psicológica, 35(1), 13-24. https://dx.doi.org/10.14417/ap.1170

Ristoff, Dilvo. (2014). O novo perfil do campus brasileiro: uma análise do perfil socioeconômico do estudante de graduação. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), 19(3), 723-747. https://doi.org/10.1590/S1414-40772014000300010

Schuarcz, L., Sá, M. P. C. de, Warmuth, D., &Maçaneiro, M. B. (2014). Secretariar ou não secretariar? Eis a questão: um estudo sobre a evasão no curso de secretariado executivo.Revista de Gestão e Secretariado. São Paulo, v. 5, n. 1, p. 19-41.

Silva, G. B. (2016). A educação superior no regime militar: rupturas ou continuidades?. Cadernos De História, 17(27), 455-474. https://doi.org/10.5752/P.2237-8871.2016v17n27p455

Silva, I. J. A., Miranda, G. J., Leal, E. A., & Pereira, J. M. (2018). Estratégias das Coordenações dos Cursos de Ciências Contábeis para Combater a Evasão. Revista Universo Contábil, 14(2), 61-81.

Silva, I.,Nasu, V., Leal, E., & Miranda, G. (2020). Fatores determinantes da evasão nos cursos de ciências contábeis no Brasil. Revista Gestão Universitária na América Latina - GUAL, 13(1), 48-69. doi:https://doi.org/10.5007/1983-4535.2020v13n1p48

Silva, C. C., Cunha, J. V. A., Durso, S. de O.,& Nascimento, E. M. (2014, outubro). Fatores motivadores de não evasão: análise com estudantes de cursos de graduação em ciências contábeis em instituições de ensino brasileiras. Anais do Seminários em Administração, São Paulo, SP, Brasil, XVII.

Silva Filho, R. L. L., Montejunas, P. R., Hipólito, O.,& Lobo, M. B. de C. M. (2007). A evasão no ensino superior brasileiro. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, v. 37, n. 132, p. 641-659.

Vasconcelos, A. L. F. de S., Silva, M. N. da & Miranda, N. P. de. (2013). Um estudo sobre as causas da evasão no ensino superior no curso de Ciências Contábeis e Atuariais. Revista Brasileira de Contabilidade, [S.l.], n. 195, p. 20-31, jan. 2013. ISSN 2526-8414. Disponível em: http://rbc.cfc.org.br/index.php/rbc/article/view/991.

Vieria, P.R. da C.,Troccoli, I. R. & Silva, J. M. C.da. A relevância do corpo docente na qualidade percebida em serviço de ensino superior no Brasil: um estudo com modelagem de equações estruturais. Revista Economia & Gestão, v. 11, n. 26, p. 82-109, 2011.

Publicado

19/12/2020

Como Citar

Sampaio, S. de S., da Rocha, M. M. R., Cavalcante, S. M. de A., & Rodrigues, M. V. (2020). DETERMINANT FACTORS FOR UNIVERSITY STUDENT DROPOUT: A STUDY WITH NEW STUDENTS OF ACCOUNTING SCIENCES COURSES AT FEDERAL UNIVERSITIES IN THE NORTHEAST REGION. Advances in Scientific and Applied Accounting, 1(1), 084–102. https://doi.org/10.14392/asaa.2020130305

Edição

Seção

ARTIGOS