GOVERNANÇA CORPORATIVA E EFICIÊNCIA ECONÔMICA: UM ESTUDO EM EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO

Authors

  • Edson Pedro Zambon FAT - Faculdade e Escola
  • Carlos Alberto Diehl Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Luiz Henrique Figueira Marquezan
  • Lucas Seffrin Zorzo

Keywords:

Eficiência Econômica, Governança Corporativa, Setor Elétrico Brasileiro.

Abstract

O objetivo desta pesquisa é identificar se há relação entre eficiência econômica e elementos da governança corporativa no setor elétrico. A eficiência econômica foi calculada pela técnica DEA, o nível de governança corporativa por um índice de 16 questões binárias listadas pela literatura especializada. Os dados foram coletados, no segundo semestre de 2013, por meio de levantamento (survey), nos formulários de referência e nas demonstrações financeiras padronizadas das companhias. Como resultado da eficiência econômica, constata-se que seu escore médio reduziu de 2010 para 2013. Em relação ao nível de governança, não houve evolução durante o período, sendo considerado relativamente baixo (em média 44% de adesão dos mecanismos). Quanto à relação da eficiência econômica com o índice de governança, não foram identificadas relações estatisticamente significativas.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. (2014). Distribuição de Energia. Recuperado em 10 de dezembro de 2014 de http://www.aneel.gov.br/area.cfm?idArea=77&idPerfil=2.

Aldrighi, D. M. & Postali, F. A. S. (2011). Propriedade Piramidal das Empresas no Brasil. Economia, 12 (1), 27-48.

Alves, D.; Ribeiro, K. & Mantese, F. (2007). Governança Corporativa e desempenho das ações de empresas do setor elétrico. In: X SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO DA FEA/USP (SEMEAD). Anais...São Paulo/SP.

Andrade, A. & Rossetti, J. P. (2006). Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. São Paulo: Atlas.

Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica - ABRADE. (2014). Setor de Distribuição, Distribuidoras e Origem de Capital. Recuperado em 10 de dezembro de 2014 de: http://www.abradee.com.br/setor-de-distribuicao/distribuidoras-e-origem-de-capital.

Barbosa Pinto, M. (2011). Relação entre dispersão acionária e remuneração dos administradores de companhias abertas brasileiras. (Dissertação Mestrado). Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

Belloni J. A. (2000). Uma metodologia de avaliação da eficiência produtiva de Universidades Federais Brasideiras (Tese Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

Berle, A. A., & Means, G. C. (1984). A moderna sociedade anônima e a propriedade privada. São Paulo: Abril Cultural.

Bernardino, F. F M. (2014). A governança corporativa como um determinante de eficiência nas organizações pertencentes ao setor elétrico brasileiro (Dissertação mestrado). Universidade Federal de Uberlândia.

Besanko, D. & Breautigan, R. R. (2004). Microeconomia: uma abordagem completa. Rio de Janeiro: LTC.

Bogetoft, P., Fare, R. & Obel, B. (2006) Allocative efficiency of technically inefficient production units.European. Journal of Operational Research, 168, 450-462.

Bortolon, N, P. M.; Sarlo Neto, A. & Santos, T. B. (2013). Custos de Auditoria e Governança Corporativa. Revista Contabilidade e Finanças, 24 (61), 27-36.

Callegari-Jaques, S. M. (2003). Bioestatística: princípios e aplicações. Porto Alegre: Artemed.

Cambini, C., Croce, A. & Fumagalli, E. (2014). Output-based incentive regulation in electricity distribution: evidence from Italy. Energy Economics, 45, 205-216.

Campos, T. C. (2006). Estrutura da propriedade e desempenho econômico: uma avaliação empírica para as empresas de capital aberto no Brasil. Revista de Administração, 41 (4) 369-380.

Catapan, A. (2011) Análise da relação entre a governança corporativa e o desempenho econômico-financeiro de empresas de capital aberto do Brasil. (Dissertação Mestrado). Universidade Federal do Paraná.

Chen, A., Kao, L. & Lu, C. (2014). Controlling ownership and firm performance in Taiwan: The role of external competition and internal governance. Pacific-Basin Finance Journal, 29, 219-238.

Celen, A. (2013). Efficiency and productivity (TFP) of the Turkish electricity distribution companies: an application of two-stage (DEA&Tobit) analysis. Energy Policy, 63, 300-310.

Celen, A. & Yalcin, N. (2012). Performance assessment of Turkish electricity distribution utilities: an application of combined FAHP/TOPSIS/DEA methodology to incorporate quality of service. Utilities Policy, 23, 59-71.

Charan, R. (2010). Reinventado a governança corporativa. Rio de Janeiro: Campus.

Charnes, A., Cooper, W. W., & Rhodes, E. (1978). Measuring the efficiency of decision-making units. European Journal of Operational Research, 2(6), 429-444.

Correia, L. F., Amaral, H. F. & Louvet, P. (2011) Um índice de avaliação da qualidade da governança corporativa no Brasil. Revista Contabilidade &Finanças, 22 (55), 45-63.

Costa, S. F. (2005). Introdução ilustrada à estatística. (4ª ed.) São Paulo: Harbra.

Daza, E. F. (2014). Análise da regulação econômica do setor elétrico brasileiro. (Dissertação de Mestrado). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

De Luca, M. M. M., Martins, L. C., Maia, A. B. G. R. & Dias Coelho, A. C. (2010) Os mecanismos de auditoria evidenciados pelas empresas listadas nos níveis diferenciados de governança corporativa e no novo mercado da Bovespa. Revista Contabilidade Vista & Revista, 21, (1), 101-130.

Debreu, G. (1951) The coefficien to fresource utilization. Econometrica, 19 (3), 273-292.

Diehl, C. A. & Marquezan, L. H. F. (2014) Governança no setor elétrico: fatores que agregam valor. In: Joaquim Rubens Fontes Filho; Ricardo Pereira Câmara Leal. Governança corporativa e criação de valor. São Paulo: Saint Paul. 295-309.

Farrell, M. J. (1957). The measurement of productive efficiency. Journal of the Royal Statistical Society, 120 (3), 253-290.

Ferreira, R. N. (2012) Governança corporativa e desempenho: uma análise em empresas brasileiras de capital aberto. (Tese Doutorado). Universidade Federal de Lavras, Minas Gerais.

Ferreira, R. N., Dos Santos, A. C., Lopes, A. L. M., Nazareth, L. G. C. & Fonseca, R. A. (2013). Governança corporativa, eficiência, produtividade e desempenho. Revista de Administração Mackenzie, 14 (4), 134-164.

Ganim, A. (2009) Setor elétrico brasileiro: aspectos regulamentares, tributários e contábeis. Rio de Janeiro: Synergia, Canal Energia.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social (6ª ed.). São Paulo: Atlas.

Gillan, S. L. (2006) Recent developments in corporate governance: an overview. Journal of corporate finance, 12.

Gonçalves Junior, D. (2002). Reestruturação do setor elétrico Brasileiro: estratégia de retomada da taxa de acumulação do capital? (Dissertação de Mestrado) Universidade de São Paulo.

Gray, D. E. (2012). Pesquisa no mundo real (2ª ed.). Porto Alegre: Penso.

Instituto Brasileiro de Governança Corporativa - IBGC. (2009). Código das melhores práticas de governança corporativa. (4ª ed). São Paulo.

Jensen, M. C. & Meckling, W. H. (1976). Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and owner ship structure. Journal of Financial Economics. (3), 305-360.

Jensen, M. C. & Murphy, K. (1990). Performance pay and top management incentives. Journal of Political Economy, 98 (2), 225-264.

La Porta, R., Lopez-de-Silanes, F., Shleifer , A. & Vishny, R. W. (2000) Investor protection and corporat evaluation. Journal of Financial Economics, 58 (2), 3-27.

Leal, R. P. C., Silva, A. L. C. & Valadares, S. M. (2002) Estrutura de controle das companhias brasileiras de capital aberto. Revista de Administração Contemporânea, 6, (1), 7-18.

Leal, R. P. C. & Silva , A. L. (2005). Corporate governance and value in Brazil (and in Chile). Research Network Working Papers.

Lélis, D. L. M. & Pinheiro, L. E. T. (2012). Percepção de auditores e auditados sobre as práticas de auditoria interna em uma empresa do setor energético. Revista Contabilidade e Finanças. 23 (60), 212-222.

Lira, S. A. (2004). Análise de correlação: abordagem teórica e de construção dos coeficientes com aplicações (Dissertação Mestrado). Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Martins, G. M. & Theóphil, C. R. (2009). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. (2ª ed.) São Paulo: Atlas.

Macedo, M. A. S., & Corrar, L. J. (2012) Análise comparativa do desempenho contábil-financeiro de empresas com boas práticas de governança corporativa no Brasil. Revista de Contabilidade e Controladoria, 4 (1), 42-61.

Macedo, P. & Socotto, M. (2014) Cross-entropy estimation in technical efficiency analysis. Journal of Mathematical Economics, 54, 124-130.

Martins, V. Q. (2014). Eficiência econômica em empresas distribuidoras de energia elétrica: um estudo com base na análise envoltória de dados. (Dissertação mestrado). Universidade do Vale do Rio dos Sinos. São Leopoldo.

Marquezan, L. H. F., Diehl, C. A., Macagan, C. B. & Hoppen, N. (2014). Práticas de governança corporativa da BM&FBovespa e o uso da remuneração variável para executivos. IN: VIII Congresso Anpcont, Anais...Rio de Janeiro.

Miller, R. L. (1981). Microeconomia: teoria, questões e aplicações. (1º ed.) São Paulo: McGraw-Hill do Brasil,

Oliveira, L. R. O. & Beyns, F. N. (2010) Análise das práticas de governança corporativa em empresas do setor de energia elétrico brasileiro. In XXXIV ENCONTRO ENAMPAD. Anais... Rio de Janeiro.

Pinheiro, T. M. M. (2012). Regulação por incentivo à qualidade: comparação da eficiência entre distribuidoras de energia elétrica no Brasil (Dissertação Mestrado). UnB, Brasília.

Prommin, P., Jumreornvong, S. & Jiraporn, P. (2014) The effect of corporate governance on stock liquidity: the case of Thailand. International Review of Economics & Finance, 32, 132-142.

Peixoto, F. M., Ferreira, R., Lopes, A. L. M., & Fagundes, A. F. A. (2011) Corporate Governance and efficiency in the electricity sector using data envelopment analysis: a study in the Brazilian stock market. Revista de Ciências da Administração, 13 (31), 161-189.

Peña, C. R. (2008). Um Modelo de Avaliação da Eficiência da Administração Pública através do Método Análise Envoltória de Dados (DEA). Revista de Administração Contemporânea, 12, (1), 83-106.

Pessanha, J. F.M., Souza, R. C., & Laurencel, L. C. (2007). Pesquisa Operacional, 27 (1), 51-83.

Pitzer, M. (2011). A Influência do nível de governança corporativa no valor de mercado das ações das empresas brasileiras negociadas na Bovespa. (Dissertação Mestrado). Universidade Estácio de Sá. Rio de Janeiro.

Rempel, C. (2013). Análise da eficiência técnica relativa de empresas brasileiras distribuidoras de energia elétrica: uma abordagem DEA. (Dissertação de Mestrado). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

Rios, L. R. (2005). Medindo a eficiência relativa das operações dos terminais de contêineres do Mercosul (Dissertação Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

Sami,H., Wangb, J. & Zhou, H. (2011) Corporate governance and operating performance of Chinese listed firm. Journal of International Accounting, Auditing and Taxation, 20, (2),106-114.

Sauer, I. L. (2002). Energia elétrica no Brasil contemporâneo: a reestruturação do setor, questões alternativas. São Paulo: Paz e Terra.

Silva, A. L. C. Da. & Leal, R. P. (2005). Corporate Governance index, firm valuation and performance in Brazil. Revista Brasileira de Financas, 3 (1), 1-18.

Silva, P. R. (1977). Eficiência técnica vs eficiência econômica. Revista Ciência Agronômica, 7, (1), 157-163.

Silveira, A. M. (2004). Governança corporativa e estrutura de propriedade: determinantes e relação com o desempenho das empresas no Brasil. (Tese Doutorado). Universidade de São Paulo.

Silveira, A. M. (2010). Governança corporativa no Brasil e no Mundo. Rio de Janeiro: Elsevier.

Singh, M. & Kumar, R. (2011) Efficiency analysis of the public sector general insurance companies: a comparative study of pre- and post-reform period. Journal of Risk & Insurance, 8 (4), 28-46.

Shank, J. K. & Govindarajan, V. (1997). A revolução dos custos. Rio de Janeiro: Campus.

Shleifer , A. & Vishny, R. W. (1997) A Survey of Corporate Governance. The Journal of Finance, 52 (2).

Smith, A. (1996). A riqueza das nações: investigação sobre sua natureza e causas. São Paulo: Nova Cultural.

Ventura, A. F. A., Santos, V. S., Ventura Júnior, R. & Firmino, R. G. (2012) A relação dos níveis de governança corporativa e índices de rentabilidade econômica. REUNA, 17 (3), 73-84.

Vieira, S. A. (2007). A auditoria e os sistemas de controles internos no Brasil: antecedentes e evolução. Revista de Economia Mackenzie, 5, (5), 175-193.

Published

2019-02-07

How to Cite

Zambon, E. P., Diehl, C. A., Figueira Marquezan, L. H., & Zorzo, L. S. (2019). GOVERNANÇA CORPORATIVA E EFICIÊNCIA ECONÔMICA: UM ESTUDO EM EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO. Advances in Scientific and Applied Accounting, 11(2), 290–307. Retrieved from https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/370

Issue

Section

ARTIGOS