CONTRADIÇÕES INSTITUCIONAIS, PRÁXIS E MUDANÇA DO CONTROLE GERENCIAL: Estudo de Caso em uma Cooperativa

Autores

  • Carlos Eduardo Facin Lavarda Universidade Regional de Blumenau - FURB PPGCC
  • Fabiane Popik Unibave - Centro Universitário Barriga Verde

Palavras-chave:

Contradições Institucionais. Práxis Humanas. Mudança Institucional.

Resumo

O estudo teve por objetivo identificar como as contradições institucionais e as práxis impulsionaram o processo de mudança do controle gerencial em uma Cooperativa de Santa Catarina, Brasil. Especificamente, verificou-se as contradições institucionais que impulsionaram a implementação do planejamento estratégico e o papel das práxis humanas para que este artefato de controle gerencial fosse institucionalizado na cooperativa pesquisada. Para tal, a pesquisa caracterizou-se quanto aos objetivos como descritiva, quanto ao procedimento estudo de caso, com abordagem qualitativa. As informações foram coletadas por meio de entrevistas com os diretores, gerentes e consultor da empresa, assim como documentos e observações no objeto de estudo. Foram coletadas dez entrevistas na sede da cooperativa, com duração de aproximadamente uma hora cada entrevistado, no período de fevereiro e março de 2013. Identificaram-se duas fontes de contradições: ineficiência dos controles gerenciais realizados pela cooperativa e desalinhamento de interesses entre gerentes e dirigentes, assim como entre gerentes do mesmo nível hierárquico, permitindo inferir que foram estas contradições institucionais que estimularam a mudança no objeto pesquisado. Quanto às práxis humanas, concluiu-se que estas são elementos necessários para que a mudança ocorra, pois são os intermediadores do processo. No que se refere aos agentes de mudança, foram identificados como tal os diretores, o consultor e os gerentes. No entanto, com base nos relatos dos entrevistados pode-se concluir que a implementação do planejamento estratégico na cooperativa está institucionalizado, sendo as contradições institucionais as principais impulsionadoras da mudança e as práxis os elementos necessários para que a mudança ocorresse.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Facin Lavarda, Universidade Regional de Blumenau - FURB PPGCC

Doutor em Contabilidade pela Universidade de Valência (Espanha, 2008) homologado pela USP (2009), Graduado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Santa Maria (1992), graduado em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria (1990), mestrado em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2004) . Experiência na área de Administração e Contabilidade Gerencial, principalmente nos seguintes temas: finanças, orçamento e controle gerencial. Professor do Departamento de Contabilidade na Universidade Regional de Blumenau, FURB, SC, no Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis (PPGCC), Mestrado em Ciências Contábeis e Doutorado em Ciências Contábeis e Administração. Coordenador do Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis de Agosto de 2012 a abril de 2015. Bolsista PQ/CNPq Nível 2 e editor da Revista Universo Contábil. Líder do Grupo de Pesquisas em Controladoria e Sistemas de Informações - FURB e pesquisador no Grupo Pesquisas em Cultura Organizacional e Inter-relacionamento com seus Atores - FURB. 

Fabiane Popik, Unibave - Centro Universitário Barriga Verde

Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Regional de Blumenau, Brasil. Professora da Unibave - Centro Universitário Barriga Verde, Brasil. fabiane.unibave@gmail.com

Publicado

09/08/2016

Como Citar

Lavarda, C. E. F., & Popik, F. (2016). CONTRADIÇÕES INSTITUCIONAIS, PRÁXIS E MUDANÇA DO CONTROLE GERENCIAL: Estudo de Caso em uma Cooperativa. Advances in Scientific and Applied Accounting, 9(2), 119–140. Recuperado de https://asaa.anpcont.org.br/index.php/asaa/article/view/240

Edição

Seção

ARTIGOS